sexta-feira, 1 de novembro de 2013

GALERIA DE FOTOS DO CURSO DO DENARC

CURSO DE  CAPACITAÇÃO DE AGENTES MULTIPLICADORES  NA PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

Realizado pelo COMAD Lorena no Colégio Adventista de Lorena ,Lorena pela Vida ,Radio Cultura e Radio Inova.

Obrigada aos Palestrantes
Dr. Reinaldo Corrêa - Analberto R.Corrêa - Marisa Antônia Pinto - Tatiana Mouriño -Regina Neves- Laércio Rezende - Alexandre Prado - Marcio Rodrigues

Obrigada pelo Apoio Tereza Molinari e Sávio Carvalho 


















































                                           ESSA HISTORIA MARCOU 












ASSISTA AO VÍDEO 

video


VENHA FAZER PARTE DO COMAD Lorena 


quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Governo de SP anuncia programa de internação involuntária de viciados



Juiz poderá mandar dependentes sem domínio da saúde a tratamentos.
Anúncio ocorre no aniversário da ação de combate ao tráfico na cracolândia.

Do G1 São Paulo
23 comentários
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta quinta-feira (3), aniversário de um ano da ação de combate ao tráfico na cracolândia, a implantação da internação involuntária de dependentes químicos. De acordo com o governador, a medida será implantada em dez dias.
Segundo o governo, os viciados serão avaliados por médicos, que vão oferecer tratamento adequado. Se for atestado que o usuário não tem domínio da sua própria saúde e condição física e este se negar a receber tratamento, o juiz poderá determinar sua internação imediata. “Casos mais graves, que está comprometendo a vida e a saúde das pessoas, já vai ter no Cratod presente o juiz, o promotor e o advogado”, disse Alckmin. A medida deverá ser tomada sempre em conjunto com a família do viciado.
A ação será realizada em parceria com o Tribunal de Justiça (TJ), o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP), por meio da Comissão Antidrogas. Um plantão será criado no Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod) para atender casos emergenciais.
mapa_cracolandias_sao_paulo_300 (Foto: Editoria de Arte / G1)
"Temos consciência do problema, que já melhorou muito. Estamos reduzindo o número [de viciados nas ruas] e vamos continuar, de um lado com as equipes de abordagem e de outro a internação, agora com juiz, promotor e advogados para os casos mais graves", disse o governador, segundo sua assessoria.
Atualmente, existem 700 vagas abertas em todo o estado para internação de dependentes de álcool e drogas.
Operação
Em 3 de janeiro de 2012 foi intensificada a Operação Integrada Centro Legal, com objetivo de combater o tráfico e dar tratamento aos usuários com ações de agentes de saúde, sociais e da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana.
Depois de a operação começar, o número de vias da região frequentadas por usuários saltou de 17 para 33. O levantamento é da Coordenadoria de Atenção às Drogas, órgão ligado à Secretaria de Participação e Parceria da Prefeitura. Agentes da pasta tiveram de ampliar o monitoramento das vias no Bom Retiro, Santa Cecília e República. Os craqueiros se espalharam após forças policiais tentarem expulsá-los da Luz.

Alegando que os dados são irrelevantes diante de toda a ação, a administração pública não forneceu à equipe de reportagem o mapa atualizado com os nomes das ruas e avenidas.

A Operação Integrada Centro Legal existe desde 2009, mas, no início do ano passado, quando passou a contar com policiais militares e guardas-civis, parte dos viciados da cracolândia começou a migrar para outras regiões da cidade, numa fuga chamada por eles de "procissão do crack". De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, já foram identificados grupos de viciados em entorpecentes em dez bairros: Sé, Santa Cecília, República e Bela Vista (no Centro); Cambuci e Itaim Bibi (Zona Sul); Pari (Zona Norte); Mooca e Belém (Zona Leste); e Barra Funda (Zona Oeste).
Segundo o governo, desde janeiro de 2012 a Operação Centro Legal realizou mais de 150 mil abordagens sociais e de saúde, que resultaram na internação voluntária de 1.363 dependentes químicos e mais de 13 mil encaminhamentos para abrigos e albergues.
Policiais ocupam Rua Helvétia, que foi tomada por viciados (Foto: Nilton Fukuda/Agência Estado)Ação policial gera tumulto na Rua Helvétia, no início de 2012 (Foto: Nilton Fukuda/Agência Estado)